Iniciativas e personalidades que engranderam o campus em 2014

2014 foi um ano ano cheio de problemas, mas também, repleto de conquistas e avanços para o campus professor Alberto Carvalho. Um campus em processo de maturação, de crescimento, que tenta reverter a atual situação de sucateamento e de abandono para que consiga um status verdadeiramente universitário.

Enfrentamos um greve dos servidores sem precedentes, para logo em seguida, enfrentar uma greve dos professores, sem quaisquer respostas à perguntas lançadas à administração. Entre vaias e aplausos, as aulas voltaram antes dos que esperavam até 2015, um longo período de ociosidade.

Em 2014, nunca antes foram concedidas tantas bolsas e auxílios para os discentes do campus. Transporte, alimentação, trabalho, residência, PIBIC, PIBID, PIBIX, apoio pedagógico, manutenção acadêmica, e assim segue-se a lista quase infinda de valores que caem, as vezes em atraso, na conta corrente de centenas de estudantes.

No presente ano, prestes a se findar, presenciamos o quanto é claro o esquecimento do nosso campus para com o campus sede; e isso comprovou-se com a II SEMAC, evento de prestígio para a UFS, mas restrito aos altos de São Cristóvão, que nem sequer convidam seus colegas “periféricos” de Itabaiana, Lagarto e Laranjeiras.

Em contraposição a tal, nossos discentes chegaram numa eterna promessa de renovar o campus, com a valorização de novas cabeças. Todavia, a inovação e a renovação parecem utopias, e assim, os calouros se deparam com uma realidade bem distante da imaginada antes, se acomodando frente à falta de ação de todos.

Durante este “longo” ano de 2014, três grandes iniciativas merecem homenagem e destaque:

Primeiramente, o já citado Itabaiana+verde, que tem como atual expoente o professor Marcos Meiado, do Departamento de Biociências; pelo incentivo e conscientização da comunidade discente na conservação de espécies nativas da Mata Atlântica, além da prática de reflorestamento.

O Cine Cebola, organizado pelos professores Marcos de Melo, do Departamento de Educação e Heloísa Mello, do Departamento de Química, pela inclusão de material audiovisual dentro da universidade na reflexão de dilemas e questões que circulam na mente da criança.

E por fim, o teatro Leromundo, organizado pelo PIBID/Geografia, com a coordenação das professoras Ana Rocha e Marleide Sérgio, ambas do Departamento de Geografia, na reflexão da situação do negro na realidade brasileira, em destaque na literatura de Monteiro Lobato.

Desde já, o blog Cartaacadêmica parabeniza estas três grande iniciativas, e esperamos que elas se perdurem e continuem a servirem de exemplo para todos os docentes e discentes que constroem o nome do campus.

Iniciativas e personalidades que engranderam o campus em 2014